Sobre sentir e sentimentos





Hoje, cada vez mais os sentimentos beiram à superficialidade e a falta do sentir. Não existe profundidade. Não existe entendimento no que se sente.

Existe uma sensação de vazio, como se você estivesse em busca de algo que nunca encontra, tendo como a única sensação a confusão mental e emocional.


Quando praticamos o autoconhecimento e a meditação, começamos a perceber um novo olhar sobre os sentimentos. O sentir surge de um outro lugar, um lugar mais intenso e profundo. O sentimento vem à tona e muitas das vezes não conseguimos segurá-lo. Ele é puro, ele só pode ser experenciando.

A raiva toma cada célula do seu corpo, mas o amor também.

Não há disfarce, não como se esconder do que sente, você apenas sente. Essa é a graça, essa é a beleza.

Sentir hoje.

E amanhã o mesmo sentimento, surge de uma outra forma, como um novo olhar, uma nova sensação, através de uma nova experiência.

Isso é o sentir verdadeiro, é entender que assim como você, seus sentimentos também mudam e até a sua própria sensação de sentir um sentimento tão comum muda. Tudo é mudança.


Você hoje sente o amor, amanhã sentirá outro tipo de amor, e no futuro você ainda descobrirá novas facetas sobre o mesmo sentimento, se você se propor a sentir.


Se você se propor a julgar, o sentimento não muda, porque você não abre espaço para senti-lo como se fosse a primeira vez. Você já o classifica de acordo com experiências passadas.


Se abra para sentir. Sinta cada sentimento como se fosse a primeira vez.


Aila Maronna.

0 visualização0 comentário